NDD é a primeira empresa a emitir o DT-e 

fevereiro 28, 2022
caminhão vermelho

Documento Eletrônico de Transporte é exigência recente e pode ter sua emissão automatizada com o uso de ferramentas adequadas, o que torna a gestão mais assertiva e segura

Em 2021, um novo documento fiscal foi implantado para tentar reduzir a burocracia relativa ao transporte de mercadorias no país: o documento eletrônico de transporte, conhecido como DT-e. A nova legislação afeta diversos players do setor logístico: embarcadores, contratadores, transportadores, operadores de transporte e logísticos, transportadores rodoviários autônomos e as entidades relacionadas. 

Sua criação visou três propósitos: unificar, reduzir e simplificar informações na contratação e operação de transporte; subsidiar a formulação, o planejamento e a implementação de ações das políticas de logística e transporte; custear o planejamento, a execução e a promoção de transferência de tecnologia no setor de transportes. Neste artigo, trouxemos as informações básicas sobre o DT-e. 

Trata-se de um documento exclusivamente digital, que cria novas responsabilidades para os operadores de transportes do país, em especial aos embarcadores. De um lado, o documento parece gerar mais burocracia para as empresas do segmento, mas, por outro, faz com que a tecnologia possa ser usada para automatizar processos e dar mais controle das informações para as empresas e órgãos fiscalizadores. 

Uma solução tecnológica como o i-Comprova, funcionalidade do NDD Cargo, garante que a emissão seja feita de forma simples pelos embarcadores, sem gerar novas demandas. 

O i-Comprova, funcionalidade do NDD Cargo, está por dentro das principais novidades da legislação brasileira em relação aos transportes, incluindo o Documento Eletrônico de Transporte (DT-e), o que abre a possibilidade de emissão automática e de mais controle das informações. Saiba mais sobre essa funcionalidade! 

O que muda no dia a dia? 

O Documento Eletrônico de Transporte será exigido nos transportes de cargas que ocorrem no país, sejam por estradas, ferrovias, rios ou aéreos. O fato de mesclar modais facilita a fiscalização dos órgãos, já que toda a documentação pode ser verificada em apenas um documento – que será digital. Apenas transportes internacionais ou aqueles sob o controle das aduanas estão isentos da obrigatoriedade. 

Para os embarcadores, a nova exigência está em preencher as informações necessárias e na emissão do documento, com sua devida validação e ativação. Quer saber como o DT-e vai funcionar na prática? Explicamos neste artigo, detalhando em oito passos como o documento deve ingressar na rotina de trabalho de cada um dos players do segmento. 

Além disso, o documento eletrônico de transporte traz algumas mudanças, tais como: 

– Para os caminhoneiros, como o benefício do combate da carta-frete; 

– Para os embarcadores, com a possibilidade de gerar o DT-e de forma automática; 

– Para os transportadores, redução do tempo desperdiçado na estrada em fiscalizações. 

Saiba em detalhes quais são as alterações para cada um deles neste artigo. E o mais importante: é possível cumprir todos esses requisitos de forma rápida e simples. 

Emissão automática de DT-e 

Diante dessa nova realidade, a possibilidade de emissão automática do DT-e se torna um diferencial para as companhias, gerando inúmeras vantagens, tais como: 

– Automação de processos; 

– Inclusão de todas as informações em sistemas de gestão de pagamento; 

– Melhora do fluxo de caixa; 

– Evitar multas e outros problemas, já que irregularidades podem levar à suspensão temporária das emissões do DT-e entre 30 e 180 dias, cancelamento definitivo do registro da entidade ou aplicação de penalidade, que variam de R$ 550 a 1 milhão, de acordo com o formato do transporte e os valores do frete. 

Nesse contexto, as soluções voltadas ao setor logístico precisam oferecer inteligência e agilidade para não só se adequar à legislação, mas, ao mesmo tempo, oferecer novas formas de gerenciar e integrar informações importantes do ponto de vista de gestão. Em um mundo no qual decisões precisam ser mais assertivas, ter esses dados centralizados se torna um diferencial fundamental. 

Quer saber como automatizar a emissão do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e) com o NDD Cargo? Fale com um de nossos consultores e solicite uma demonstração da ferramenta. 

gostou? compartilhe para mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos exclusivos!

Queremos saber quais são seus interesses.
Cadastre-se, é rápido e fácil!




    Eu aceito a Política de Privacidade

    Mostrar Aviso

    O que você está procurando?

    Suporte

    Para acessar escolha uma das soluções

    Caso você precise de ajuda ou tenha alguma dúvida, basta acessar o suporte!

    Telegram

    Com que você deseja falar?