Como atuar como MEI Caminhoneiro em 2023?

janeiro 18, 2023
MEI Caminhoneiro 2023

Os empresários individuais e microempreendedores individuais (MEI) que atuam no ramo do transporte autônomo de cargas e desejam atuar como MEI Caminhoneiro, poderão fazer esta opção até o dia 31 de janeiro.

Como se formalizar como MEI Caminhoneiro?

Entre no site gov.br e siga os seguintes passos:

  1. Acesse o “Portal do Empreendedor”.
  2. Clicar em “Quero ser MEI”;
  3. Após isso, selecionar “Formalize-se”;
  4. Ao se cadastrar, informe as ocupações do CNPJ, incluindo caminhoneiro.

Obs.: Se preferir, o empreendedor pode acessar diretamente este link.

CNPJ do MEI não trará mais o número do CPF do empreendedor

Seguindo as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), desde o dia 12 de dezembro, os novos CNPJs criados não trazem mais o CPF do titular. A mudança atende às reivindicações antigas de empreendedores que tinham seu dado pessoal divulgado no nome empresarial.

Os MEIs formalizados antes dessa data e que desejarem retirar o CPF do nome empresarial podem fazer a solicitação de alteração de MEI no Portal do Empreendedor. A baixa no MEI dentro do portal Gov.br inscrito com CNPJ até o dia 16 de março de 2022, pode ser realizado apenas com o selo bronze (antes era exigido o selo prata ou ouro).

O que é o MEI Caminhoneiro?

O MEI Caminhoneiro possibilita que profissionais autônomos que atuam como transportadores de carga possam se formalizar com acesso ao Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), com possibilidade de emitir notas fiscais e garantia de benefícios previdenciários.

Além disso, ao se tornar MEI, os optantes passam a ter acesso às linhas de crédito e financiamentos com condições especiais.

As ocupações permitidas para atuar nessa categoria são:

  • Transportador autônomo de carga – municipal.
  • Transportador autônomo de carga intermunicipal, interestadual e internacional.
  • Transportador autônomo de carga – produtos perigosos.
  • Transportador autônomo de carga – mudanças.

O que é o Transportador autônomo de carga?

O transportador autônomo de carga é um profissional que trabalha como condutor de um veículo, levando produtos de um local ao outro, necessariamente por meio rodoviário.

Este profissional poderá optar por ser MEI Caminhoneiro, desde que se enquadre em uma das atividades previstas na Resolução CGSN nº 140/2022 (Anexo XI – Tabela B).

Qual a diferença entre o MEI (comum) e o MEI Caminhoneiro?

A principal diferença entre o MEI comum e o MEI Caminhoneiro é o faturamento e recolhimento de impostos.

MEI (comum)

Para ser MEI, o empreendedor deve faturar até R$ 81 mil por ano, e recolher 5% de INSS sobre o salário-mínimo.

MEI Caminhoneiro

Já o MEI Caminhoneiro pode faturar até R$ 251,6 mil ao ano. O valor mensal da contribuição previdenciária é de 12% sobre o salário-mínimo nacional.

Obs.: no caso de início de atividade, o limite da receita bruta será de R$ 20.966,67 multiplicados pelo número de meses compreendidos entre o mês de início da atividade e o final do respectivo ano-calendário, considerada a fração de mês como mês completo.

MEI caminhoneiro: Saiba mais sobre esta categoria e quais as suas vantagens

Como proceder o empresário individual já inscrito no CNPJ, em janeiro de 2023?

O MEI poderá optar pelo Simei (Sistema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos abrangidos pelo Simples Nacional) e recolher os impostos e contribuições abrangidos pelo Simples Nacional por meio do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), em valores fixos mensais, independentemente da receita bruta por ele auferida no mês.

Para ser MEI, o contribuinte deve ter natureza jurídica de empresário individual e atender os demais requisitos exigidos ao MEI, conforme disposto nos arts. 18-A a 18-F da Lei Complementar nº 123, de 2006.

O que acontece se o MEI exercer ocupação econômica que não seja de transporte autônomo de cargas?

O MEI transportador autônomo de cargas, que passe a exercer durante o ano-calendário qualquer ocupação profissional não listada na Tabela B do Anexo XI da Resolução CGSN nº 140, de 2022, estará sujeito:

  • ao limite de receita bruta anual de R$ 81.000,00 (oitenta e um mil reais) ou, no caso de início de atividades, de R$ 6.750,00 (seis mil setecentos e cinquenta reais) multiplicados pelo número de meses compreendidos entre o início da atividade e o final do respectivo ano-calendário, consideradas as frações de meses como um mês inteiro.
  • A pagar, por meio do DAS, valor fixo mensal correspondente à soma das seguintes parcelas:
    • Contribuição para a Seguridade Social relativa à pessoa do empresário, na qualidade de contribuinte individual, correspondente a 12% sobre o salário-mínimo mensal, desde a competência de abril, ou do início de atividade, se for o caso.R$ 1,00 (um real), a título de ICMS, caso seja contribuinte desse imposto.
    • R$ 5,00 (cinco reais), a título de ISS, caso seja contribuinte desse imposto.

Obs.: Caso exceda os referidos limites de receita bruta anual, será desenquadrado do Simei.

Fonte: Receita Federal | Portal Contábil

gostou? compartilhe para mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos exclusivos!

Queremos saber quais são seus interesses.
Cadastre-se, é rápido e fácil!




    Eu aceito aPolítica de Privacidade



    Mostrar Aviso

    O que você está procurando?

    Suporte

    Para acessar escolha uma das soluções

    Caso você precise de ajuda ou tenha alguma dúvida, basta acessar o suporte!

    Telegram

    Com que você deseja falar?