NFC-e: Tudo o que você precisa saber

agosto 28, 2020
nfce

A Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e), é um documento digital que serve para registrar as transações comerciais entre as empresas e os consumidores finais.

A NFC-e substitui a nota fiscal de venda ao consumidor, modelo 2, e o cupom fiscal emitido por Emissor de Cupom Fiscal (ECF).

O que é PAF-ECF?

A NFC-e é, neste caso, uma evolução das antigas notas emitidas pelo Emissor de Cupom Fiscal (ECF).

O ECF representa uma impressora dedicada para emissões de cupons fiscais. Para que ela seja ativada, é necessário que a impressão parta do Programa Aplicativo Fiscal (PAF-ECF) ou de um software de gestão, interligado ao PAF-ECF.

Este tipo de nota fiscal tem legislação própria e muda de estado para estado. Assim, o software tem rotinas que são exclusivas para atender às exigências do fisco.

Já no caso da NFC-e, ela pode ser impressa em qualquer impressora não fiscal, o que não exige autorização da Secretaria da Fazenda.

Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica e seus desafios

A NFC-e veio para facilitar as transações, mas também giram várias dúvidas em torno do documento fiscal eletrônico.

Porém, alguns estados criaram regras fiscais específicas como é o caso de São Paulo, que criou o Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos (SAT) e do Ceará que criou o Módulo Fiscal Eletrônico (MFE), com critérios parecidos.

Neste caso, os estabelecimentos precisam adquirir um equipamento específico, em substituição ao ECF. Essas máquinas não permitem que o usuário faça transações em tempo real, com facilidade de acesso.

Mas, existem soluções que podem auxiliar neste processo.

Veja também:

Simplificando a NFC-e – Case de Sucesso | Paquetá

NFC-e em contingência

É possível gerar a NFC-e em contingência, porém o Fisco recomenda que isso aconteça em casos exclusivos, que realmente interfiram no funcionamento do estabelecimento.

Pode ocorrer um problema na internet ou lentidão no sistema, que impeçam a documentação em tempo real.

Para facilitar este processo é possível contratar um emissor de NFC-e que faça esse trabalho e envie para a SEFAZ conforme as orientações de cada estado.

Como posso me credenciar e emitir a NFC-e?

A NFC-e é um documento estadual, e como já pontuamos neste artigo, cada estado tem a liberdade de criar exigências para emissão da nota fiscal. Isto vale também para o credenciamento.

Mas, de uma forma geral, para emitir a NFC-e os requisitos são:

1 – Inscrição Estadual (IE);

2 – Credenciamento na SEFAZ, com permissão para emissão da NFC-e emitida pelo órgão

3 – Certificado Digital

Munido destes dados, é preciso de um Sistema integrado de gestão empresarial emissor de NFC-e, adequado as necessidades do seu negócio.

NFC-e de maneira rápida, simples e sem burocracia

Com a adesão de Santa Catarina da NFC-e, todos os estados brasileiros adotaram o modelo. E apesar dos inúmeros benefícios da nota fiscal eletrônica, muitas pessoas encontram dificuldades pelo caminho.

Veja também:

NFC-e em Santa Catarina, e agora?

Por isso, diversas empresas optam pela contratação de um emissor de NFC-e. Neste caso, a NDD pode te auxiliar neste processo.

Nossa solução faz todo o monitoramento online de toda a cadeia de documentos eletrônicos, tanto em etapas do processo como em mensagens.

gostou? compartilhe para mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Receba conteúdos exclusivos!

Queremos saber quais são seus interesses.
Cadastre-se, é rápido e fácil!




    Eu aceito a Política de Privacidade

    Mostrar Aviso

    O que você está procurando?

    Suporte

    Para acessar escolha uma das soluções

    Caso você precise de ajuda ou tenha alguma dúvida, basta acessar o suporte!

    Telegram

    Com que você deseja falar?