Entenda o porquê as empresas precisam começar a pensar sobre o E-social

abril 22, 2016
ESOCIAL

ESOCIAL

eSocial é um projeto do Governo Federal criado para unificar o envio de informações trabalhistas. A preocupação de modernizar a administração tributária das entidades públicas e do governo existe há mais de uma década, e em 2007 foi criado o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). O objetivo do SPED era informatizar a relação dos contribuintes com o fisco.

Pois bem, as empresas se adequaram e começaram a enviar as obrigações tributárias em formato digital aos órgãos que fiscalizam. Em 2009, a Receita Federal, o INSS, o Ministério do Trabalho, a Previdência Social e a Fazenda começaram a procurar empresários de vários segmentos para criar um projeto piloto que estendesse a atuação do SPED à área trabalhista. Nascia ali o SPED Social, também conhecido como EFD-Social.

Em 2012 o projeto passou a ser chamado de eSocial. Este ano, o envio de informações ao eSocial por pessoas físicas passou a ser obrigatório e as empresas que ainda não se adequaram logo deverão colocar foco nisso. O primeiro passo para é uma mudança de cultura.

Mudança cultural

A mudança cultural é uma das maiores dificuldades para que os empresários se adequem ao eSocial. Isso porque as adequações necessárias são muitas. Por exemplo, obrigações como GFIP, CAGED e MANAD1, que são enviadas até o dia sete do mês subsequente, passarão a ser encaminhadas em tempo real, e declarações anuais como a RAIS e a DIRF2 se tornarão mensais. O que antes era considerado obrigação acessória, será obrigação principal.

A forma de envio dessas informações terá de ser modificada pelas empresas, que não terão mais margem para correções. O eSocial exige que as informações estejam corretas em um prazo que não é o usual para as empresas. Os empresários precisarão adequar muitas práticas e a maioria deles não se planejou para isso.

De maneira geral, podemos dizer que a falta de conhecimento ainda é um dos principais obstáculos para que as empresas invistam no eSocial. Mesmo quem já tem contato com ele há algum tempo, não compreende bem o sistema e todos os procedimentos envolvidos. Os próprios contadores ainda encontram certo despreparo para fazer as mudanças necessárias e orientar a adaptação ao eSocial.

Programando e realizando as mudanças

A maior parte das pessoas que lidam diretamente com a entrega das informações trabalhistas não está totalmente pronta para as mudanças. É preciso investir em tecnologia e segurança da informação, além de capacitar mão de obra e se engajar nesse projeto. Se o gestor não se sensibiliza para a questão, fica difícil adequar os procedimentos internos.

É claro que toda mudança gera desconforto, mas é preciso quebrar a resistência. O setor de RH é o principal impactado pela adoção do eSocial, já que quase todos os dados fornecidos têm relação com a gestão de pessoas. Se não houver colaboração da área operacional e da administração da empresa, dificilmente as obrigações serão atendidas em tempo real, como o eSocial exige.

Para se adequar ao projeto, é preciso que as entregas das informações recebam a atenção necessária por parte dos gestores. Ser preciso e se manter no prazo é essencial. Além do RH, os setores financeiro, jurídico, de medicina e segurança no trabalho, fiscal e contábil, por exemplo, também são diretamente afetados pelas mudanças.

Informações Agrupadas

As informações devem ser enviadas em conjunto, por isso é preciso que as empresas unifiquem as responsabilidades pelos dados fiscais, trabalhistas e previdenciários. As leis do trabalho também precisarão de atenção especial, por isso é preciso se preparar para não acabar descobrindo que não se está cumprindo algum tema da legislação trabalhista e previdenciária. A adequação não é fácil, mas é necessária, mesmo porque há benefícios.

Claro que um dos principais objetivos do Governo com o eSocial é facilitar o cruzamento de dados e combater a sonegação fiscal, mas o sistema também vai ajudar as empresas a cumprirem a legislação e a tornar os processos de gestão de pessoas mais eficientes, eliminando erros e reduzindo custos operacionais. Isso, é claro, sem contar o fato de que quem não se adequar pode ser multado. Para ser bem sucedido nessa missão, o melhor é escolher bons parceiros.

Com engajamento da equipe interna, do gestor e do parceiro certo fica muito mais fácil conhecer a legislação envolvida e implementar o sistema. É importante fortalecer o relacionamento com os fornecedores para que nenhuma adequação passe despercebida, uma vez que, com o eSocial, qualquer descumprimento das normas implica em penalidade dos empregadores.

gostou? compartilhe para mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos exclusivos!

Queremos saber quais são seus interesses.
Cadastre-se, é rápido e fácil!




    Eu aceito a Política de Privacidade

    Mostrar Aviso

    O que você está procurando?

    Suporte

    Para acessar escolha uma das soluções

    Caso você precise de ajuda ou tenha alguma dúvida, basta acessar o suporte!

    Telegram

    Com que você deseja falar?